martes, 11 de octubre de 2016

FESTAS DO BUDISMO



Devemos entender que a salvação vem por Cristo e não por Buda. Satanás criou paralelos e figuras análogas a Cristo para confundir os homens.



Festivais
Os budistas celebram numerosos festivais, o mais importante dos quais está ligado à vida de Buda. Os festejos variam muito de um lugar para outro. Nos países ao sul as festas ligadas à agricultura são mais populares, enquanto no sudeste da Ásia a festa da estação das chuvas, ou Asalha, é muito difundida. Festivais budistas são geralmente eventos contidos e silenciosos.
Dia do Wesak
Considera-se que o nascimento, iluminação e morte de Buda ocorreram no mesmo dia do mês do Wesak (maio-junho). Os budistas celebram esses eventos no Dia do Wesak. As pessoas decoram suas casas e fazem oferendas. Um detalhe importante da festa é o uso de velas e lamparinas que simbolizam a iluminação de Buda.
Dias do Uposatha
Dias relacionados às fases da lua, assim como outras datas especiais do calendário lunar, são chamados dias do Uposatha. Esse nome significa "entrar para ficar": nesses dias os leigos usam roupas especiais (geralmente túnicas brancas) e entram nos mosteiros locais. Ali, eles acompanham os monges no canto e na meditação e também podem observar outros preceitos morais, adquirindo dessa forma um mérito adicional.
AsalhaDurante a estação das chuvas, ou Asalha, considera-se que Buda ascendeu aos céus e ensinou o dharma aos deuses. A viagem é difícil, por isso os monges permanecem em seus mosteiros estudando e meditando. No final do Asalha, os monges celebram uma cerimônia especial em que pedem perdão a seus companheiros, caso os tenham ofendido.
Peregrinos em Bodh-Gaya - sempre se descalçam os sapatos para entrar num templo ou local sagrado.PeregrinaçõesOs budistas empreendem peregrinações a lugares ligados à vida de Buda. Os mais importantes são Lumbini, cidade natal de Buda, no Nepal; Bodh-Gaya, local de sua iluminação; Varanasi (antiga Benares), onde ele pregou seu primeiro sermão; e Kusinara, local de sua morte. Há ainda outros sítios menores de peregrinação no mundo budista.

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada